sábado, 8 de janeiro de 2011

What the ESTROVENGA is "mais-valia"?!

„Eines ist sicher (was mich betrifft), ich bin kein Marxist." - Karl Marx

É consabido, entre o público bem-versado e que lê os clássicos, que ao percentual de marxistas que já leram Marx é comparável ao número de pensadores que entenderam o marxismo e o combatem. Neste ponto, é preferível discutir com crentes, que podem não compreender, mas ao menos vivem com uma Bíblia protegida no sovaco. Os marxistas são talmudistas sem Torá.

Mas, num mundo hipotético em que marxistas tivessem contato com suas próprias teorias, ao invés de apenas resumi-las na base do "existem pobres porque ricos roubam o seu dinheiro através do trabalho em fábricas insalubres", alguém já teria reclamado da esquisitíssima tradução do termo mais fundamental da sua filosofia: „Mehrwert". Como assim, "mais-valia"?!

Etimologicamente falando, "mais-valia" não faz o menor sentido. Aquela piadinha escrota, do "mais valia não ter perdido meu tempo", que só perde em infâmia para "é pavê ou pra comer?", consegue fazer certo sentido. 2 séculos estudando a tal teoria e ninguém para ao menos reclamar dessa tradução?

marx_noel.jpgNitidamente, a tradução foi feita por algum português. A quantidade de pessoas no Brasil capazes de compreender uma frase com "valia" sem a função de pretérito imperfeito, e ainda saber qual a função morfológica que a transforma em substantivo, pode acabar não lotando uma kombi. "São minhas valias" é uma frase pouco freqüentada até na obra de um José de Alencar. Mas a coisa beira a delinqüência junto deste "mais". Mais o quê?! Poderia ser um intrincado jogo de palavras do orignal alemão, língua por si já bastante caleidoscópica, que atinge patamares de desgraça e estilística pantragruélica na pena marxista. Ledo engodo.

Ora, palavra original é „Mehrwert". Literalmente, "valor de mais". Não "valor demais", e sim "valor de mais". "Do mais", ou como preferir. A expressão também soa um pouco feiosa e capenguenta no original, mas o método de aglutinação da língua alemã dá uma disfarçada (embora seja realmente incomum fazê-lo com advérbios substantivados).

Marx_home.jpgMas por que diabos traduzir ao pé da letra, na ordem da língua alemã? Por que "mais-valia"? O alemão sempre tem mais peso na última palavra das aglutinações (tanto que elas é que definem o gênero: „die Telefonnummer" é feminina, embora Telefon" seja neutra). O alemão, como o inglês, coloca os adjetivos antes dos substantivos (obrigatoriamente), e ainda por cima, ao contrário do inglês (e do português), tende a deixar o verbo no final da sentença (mandatário, no caso de infinitivos), o que deixa as frases com mais peso e valor em suas últimas palavras.

O português faz exatamente o contrário. As palavras importantes tendem a ficar no começo das frases, mesmo compostas, ou em orações coordenadas. Ninguém traduziria "bus stup" como "ônbus parada", que soaria como um ônibus parado grafado porcamente, e não um ponto de ônibus. Mas da "mais-valia" não reclamaram até hoje - apenas sugeriram outra porquice, "mais-valor", que só resolve o menor dos problemas (o léxico vetusto).

O que Marx quis dizer é que o capitalista lucraria com valor agregado à mercadoria pelo trabalho. O preço final de compra contaria com o custo da(s) mercadoria(s) em matéria-prima e os gastos com o trabalhador (salário etc), e mais uma quantia, chamada „Mehrwert". Ou seja, o valor que fica a mais no preço (não só em valor pecuniário), que iria para o bolso apenas do capitalista. Um valor de mais, um valor além do trabalho.

marx - museum of communism 2.jpgTraduzir essa palavra composta como "mais-valia" só pode ter sido coisa de algum português burguês e, no máximo, da esquerda festiva. A palavra nunca fará o menor sentido, nem mesmo ajudando, com sintaxe espatifada, a teoria marxista. Dá a impressão de que mais-valia é um valor a mais do que o preço da própria mercadoria. Algo, assim, como uma espécie de liquidação invertida. Coisa que hoje só se faz se mancomunando justamente com o governo. Que tal entender a palavra e sugerir algo que sirva para se entender a teoria, como "valor de sobra", ou "sobrevalor" (além do trabalho), se se quer manter a ordem original, embora neste caso se caia de novo em uma provável polissemântica involuntária?

É doloroso aos olhos e ouvidos que, se Carlos Marques fosse português, a despeito de toda a sua malversação com a língua (a ponto de se orgulhar de recitar versos em grego para assustar seus coleguinhas comunistas, mas ter morado 35 anos em Londres e escrever missivas num inglês de doer nas entranhas dos manos do Bronx), pudesse ter inventado o termo "mais-valia". Tal qual sua própria teoria, essa tradução quer dar ares científicos ao que é simplesmente pedantismo de um maniqueísmo dos mais chumbrecas.

3 pessoas leram e discordaram:

Anônimo disse...

Eu sei que o texto tem o seu valor e sua lógica, mas isso não tem nada a ver.

Há palavras (poucas, é fato!) em que a ordem da tradução é mantida, muitas vezes, por ter sido a forma da composição bem semelhante à do alemão.

Autobahn - Autoestrada
Flughafen - Aeroporto
Vorzimmer - Antessala
E pq não: Mehrwert - Mais-valia??? Eu sempre entendi isso como substantivo...

E o Mehrwertsteuer? Imposta da Mais-Valia?? :-) Na verdade, é apenas o equivalente ao nosso ICMS.

maisvalia disse...

Pô cara! maisvalia é o meu nick na web. Bem que você poderia esclarecer mais, hehehehe

Anônimo disse...

"E o Mehrwertsteuer? Imposta da Mais-Valia?? :-) Na verdade, é apenas o equivalente ao nosso ICMS."

Fala-se, no Brasil, de "Imposto sobre Valor Agregado". Aliás, essa expresão é usada para definir um "valor de mais" em tudo que é canto, menos em textos esquerdo-festivos. Por que então não traduzir "mehrwert" para "valor agregado"?

Sem contar que não tenho certeza se essas palavras em alemão que foram citadas no comentário acima são de onde vieram as palavras correspondentes em português. Talvez tenham vindo de uma terceira língua.

Postar um comentário

sábado, 8 de janeiro de 2011

What the ESTROVENGA is "mais-valia"?!


„Eines ist sicher (was mich betrifft), ich bin kein Marxist." - Karl Marx

É consabido, entre o público bem-versado e que lê os clássicos, que ao percentual de marxistas que já leram Marx é comparável ao número de pensadores que entenderam o marxismo e o combatem. Neste ponto, é preferível discutir com crentes, que podem não compreender, mas ao menos vivem com uma Bíblia protegida no sovaco. Os marxistas são talmudistas sem Torá.

Mas, num mundo hipotético em que marxistas tivessem contato com suas próprias teorias, ao invés de apenas resumi-las na base do "existem pobres porque ricos roubam o seu dinheiro através do trabalho em fábricas insalubres", alguém já teria reclamado da esquisitíssima tradução do termo mais fundamental da sua filosofia: „Mehrwert". Como assim, "mais-valia"?!

Etimologicamente falando, "mais-valia" não faz o menor sentido. Aquela piadinha escrota, do "mais valia não ter perdido meu tempo", que só perde em infâmia para "é pavê ou pra comer?", consegue fazer certo sentido. 2 séculos estudando a tal teoria e ninguém para ao menos reclamar dessa tradução?

marx_noel.jpgNitidamente, a tradução foi feita por algum português. A quantidade de pessoas no Brasil capazes de compreender uma frase com "valia" sem a função de pretérito imperfeito, e ainda saber qual a função morfológica que a transforma em substantivo, pode acabar não lotando uma kombi. "São minhas valias" é uma frase pouco freqüentada até na obra de um José de Alencar. Mas a coisa beira a delinqüência junto deste "mais". Mais o quê?! Poderia ser um intrincado jogo de palavras do orignal alemão, língua por si já bastante caleidoscópica, que atinge patamares de desgraça e estilística pantragruélica na pena marxista. Ledo engodo.

Ora, palavra original é „Mehrwert". Literalmente, "valor de mais". Não "valor demais", e sim "valor de mais". "Do mais", ou como preferir. A expressão também soa um pouco feiosa e capenguenta no original, mas o método de aglutinação da língua alemã dá uma disfarçada (embora seja realmente incomum fazê-lo com advérbios substantivados).

Marx_home.jpgMas por que diabos traduzir ao pé da letra, na ordem da língua alemã? Por que "mais-valia"? O alemão sempre tem mais peso na última palavra das aglutinações (tanto que elas é que definem o gênero: „die Telefonnummer" é feminina, embora Telefon" seja neutra). O alemão, como o inglês, coloca os adjetivos antes dos substantivos (obrigatoriamente), e ainda por cima, ao contrário do inglês (e do português), tende a deixar o verbo no final da sentença (mandatário, no caso de infinitivos), o que deixa as frases com mais peso e valor em suas últimas palavras.

O português faz exatamente o contrário. As palavras importantes tendem a ficar no começo das frases, mesmo compostas, ou em orações coordenadas. Ninguém traduziria "bus stup" como "ônbus parada", que soaria como um ônibus parado grafado porcamente, e não um ponto de ônibus. Mas da "mais-valia" não reclamaram até hoje - apenas sugeriram outra porquice, "mais-valor", que só resolve o menor dos problemas (o léxico vetusto).

O que Marx quis dizer é que o capitalista lucraria com valor agregado à mercadoria pelo trabalho. O preço final de compra contaria com o custo da(s) mercadoria(s) em matéria-prima e os gastos com o trabalhador (salário etc), e mais uma quantia, chamada „Mehrwert". Ou seja, o valor que fica a mais no preço (não só em valor pecuniário), que iria para o bolso apenas do capitalista. Um valor de mais, um valor além do trabalho.

marx - museum of communism 2.jpgTraduzir essa palavra composta como "mais-valia" só pode ter sido coisa de algum português burguês e, no máximo, da esquerda festiva. A palavra nunca fará o menor sentido, nem mesmo ajudando, com sintaxe espatifada, a teoria marxista. Dá a impressão de que mais-valia é um valor a mais do que o preço da própria mercadoria. Algo, assim, como uma espécie de liquidação invertida. Coisa que hoje só se faz se mancomunando justamente com o governo. Que tal entender a palavra e sugerir algo que sirva para se entender a teoria, como "valor de sobra", ou "sobrevalor" (além do trabalho), se se quer manter a ordem original, embora neste caso se caia de novo em uma provável polissemântica involuntária?

É doloroso aos olhos e ouvidos que, se Carlos Marques fosse português, a despeito de toda a sua malversação com a língua (a ponto de se orgulhar de recitar versos em grego para assustar seus coleguinhas comunistas, mas ter morado 35 anos em Londres e escrever missivas num inglês de doer nas entranhas dos manos do Bronx), pudesse ter inventado o termo "mais-valia". Tal qual sua própria teoria, essa tradução quer dar ares científicos ao que é simplesmente pedantismo de um maniqueísmo dos mais chumbrecas.

3 pessoas leram e discordaram:

Anônimo disse...

Eu sei que o texto tem o seu valor e sua lógica, mas isso não tem nada a ver.

Há palavras (poucas, é fato!) em que a ordem da tradução é mantida, muitas vezes, por ter sido a forma da composição bem semelhante à do alemão.

Autobahn - Autoestrada
Flughafen - Aeroporto
Vorzimmer - Antessala
E pq não: Mehrwert - Mais-valia??? Eu sempre entendi isso como substantivo...

E o Mehrwertsteuer? Imposta da Mais-Valia?? :-) Na verdade, é apenas o equivalente ao nosso ICMS.

maisvalia on 11 de janeiro de 2011 15:24 disse...

Pô cara! maisvalia é o meu nick na web. Bem que você poderia esclarecer mais, hehehehe

Anônimo disse...

"E o Mehrwertsteuer? Imposta da Mais-Valia?? :-) Na verdade, é apenas o equivalente ao nosso ICMS."

Fala-se, no Brasil, de "Imposto sobre Valor Agregado". Aliás, essa expresão é usada para definir um "valor de mais" em tudo que é canto, menos em textos esquerdo-festivos. Por que então não traduzir "mehrwert" para "valor agregado"?

Sem contar que não tenho certeza se essas palavras em alemão que foram citadas no comentário acima são de onde vieram as palavras correspondentes em português. Talvez tenham vindo de uma terceira língua.

Postar um comentário