sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Definições

Este texto não é auto-biográfico, sendo um relato do que aconteceu com meu amigo chamado Asdrúbal quando ele entrou no primeiro ano.


Professora chama alunos da nova escola, um a um, para explicar quem são, o que gostam e o que não gostam.

Após muitos sorrisos falsos, explicando que amam suas famílias, bichinhos e algum ídolo pré-pós-adolescente, Asdrúbal, impertérrito, levanta a mão como alguém a se espreguiçar e introduz:

— Meu nome é Asdrúbal.

— Eu gosto de: filme de porrada, armas, especulação financeira e poker.

— Eu não gosto de: socialistas, psicanalistas, advogados, crentes, petistas, relativistas, existencialistas, bandidos e marxistas, bichos nojentos, gosmentos, inúteis e quase imóveis (incluindo funcionários públicos), estruturalistas, cristãos normativos, mauricinhos, escritores de auto-ajuda, leitores de auto-ajuda, filósofos de gabinete, atores de novela, nacionalistas, manos do hip-hop, sociólogos coitadistas, petistas de novo, drogados, falantes de sotaque americano, cantores de MPB, viciados em literatura hispânica, socialites, gente de extrema-esquerda, gente de extrema-direita, gente de extremo-centro, vagabundos, ecléticos, roqueiros baitolas, hippies, fase da água e lagartixas.

Após um silêncio um tanto embaraçoso, uma aluna timidamente levanta a mão e pergunta:

— Mas... qual o problema com as lagartixas?!

5 pessoas leram e discordaram:

Bruno Ruder disse...

Você deveria ter deixado os petistas por último.

Gustavo Micheletti disse...

Mas Flavius, não gostar de relativistas não é coerente com não gostar de gente de extrema direita, gente de extrema esquerda, gente de extremo centro.

Gustavo Micheletti disse...

Ah, e por que tanta propaganda de tratamento às drogas? Logo o Blog passa a se chamar Cocaine Cult.

Flavio disse...

Gustavo, tal e qual W. C. Fields, sou um cara livre de qualquer preconceito: odeio todo mundo, indistintamente.

Rodrigo disse...

Maldita fase da água.

Postar um comentário

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Definições


Este texto não é auto-biográfico, sendo um relato do que aconteceu com meu amigo chamado Asdrúbal quando ele entrou no primeiro ano.


Professora chama alunos da nova escola, um a um, para explicar quem são, o que gostam e o que não gostam.

Após muitos sorrisos falsos, explicando que amam suas famílias, bichinhos e algum ídolo pré-pós-adolescente, Asdrúbal, impertérrito, levanta a mão como alguém a se espreguiçar e introduz:

— Meu nome é Asdrúbal.

— Eu gosto de: filme de porrada, armas, especulação financeira e poker.

— Eu não gosto de: socialistas, psicanalistas, advogados, crentes, petistas, relativistas, existencialistas, bandidos e marxistas, bichos nojentos, gosmentos, inúteis e quase imóveis (incluindo funcionários públicos), estruturalistas, cristãos normativos, mauricinhos, escritores de auto-ajuda, leitores de auto-ajuda, filósofos de gabinete, atores de novela, nacionalistas, manos do hip-hop, sociólogos coitadistas, petistas de novo, drogados, falantes de sotaque americano, cantores de MPB, viciados em literatura hispânica, socialites, gente de extrema-esquerda, gente de extrema-direita, gente de extremo-centro, vagabundos, ecléticos, roqueiros baitolas, hippies, fase da água e lagartixas.

Após um silêncio um tanto embaraçoso, uma aluna timidamente levanta a mão e pergunta:

— Mas... qual o problema com as lagartixas?!

5 pessoas leram e discordaram:

Bruno Ruder on 16 de janeiro de 2010 09:16 disse...

Você deveria ter deixado os petistas por último.

Gustavo Micheletti on 16 de janeiro de 2010 21:43 disse...

Mas Flavius, não gostar de relativistas não é coerente com não gostar de gente de extrema direita, gente de extrema esquerda, gente de extremo centro.

Gustavo Micheletti on 17 de janeiro de 2010 14:24 disse...

Ah, e por que tanta propaganda de tratamento às drogas? Logo o Blog passa a se chamar Cocaine Cult.

Flavio on 17 de janeiro de 2010 16:41 disse...

Gustavo, tal e qual W. C. Fields, sou um cara livre de qualquer preconceito: odeio todo mundo, indistintamente.

Rodrigo on 27 de janeiro de 2010 11:01 disse...

Maldita fase da água.

Postar um comentário