quarta-feira, 25 de julho de 2007

O Pêndulo Silente

ouvindo: Dead Can Dance - Crescent
frase do dia: "Amor: duas solidões protegendo-se uma à outra." - R. M. Rilke


O Pêndulo Silente

Perguntei ao silêncio como contar o tempo
sem nunca enlouquecer. Respondeu-me:
Os ponteiros que marcam destinos cruzados
cruzam-se sem nunca se tocar.

As horas correm fatais no escuro
Mas no relógio, tu não poderás enxergá-las.
No inverno, apenas corações tresloucados contam
quantos lírios os licornes colhem.

Perguntei ao tempo como sobreviver ao silêncio
sem nunca se perder. Respondeu-me:
As plêiades morreram para guiar
tanto os sábios quanto os primeiros a chegar.

O Inverno dá erudição à mente solitária
e fenece as flores que ela poderia contemplar.
Quando puderdes compreender teu tempo
saberás que teu tempo já se foi.


(Winter, 25.07.2007)

0 pessoas leram e discordaram:

Postar um comentário

quarta-feira, 25 de julho de 2007

O Pêndulo Silente


ouvindo: Dead Can Dance - Crescent
frase do dia: "Amor: duas solidões protegendo-se uma à outra." - R. M. Rilke


O Pêndulo Silente

Perguntei ao silêncio como contar o tempo
sem nunca enlouquecer. Respondeu-me:
Os ponteiros que marcam destinos cruzados
cruzam-se sem nunca se tocar.

As horas correm fatais no escuro
Mas no relógio, tu não poderás enxergá-las.
No inverno, apenas corações tresloucados contam
quantos lírios os licornes colhem.

Perguntei ao tempo como sobreviver ao silêncio
sem nunca se perder. Respondeu-me:
As plêiades morreram para guiar
tanto os sábios quanto os primeiros a chegar.

O Inverno dá erudição à mente solitária
e fenece as flores que ela poderia contemplar.
Quando puderdes compreender teu tempo
saberás que teu tempo já se foi.


(Winter, 25.07.2007)

0 pessoas leram e discordaram:

Postar um comentário