sábado, 17 de março de 2007

Uma Fábula de Esopo

ouvindo: System of a Down - B. Y. O. B.
frase do dia: "Deus nos concedeu uma enorme máquina de fliperama que está localizada entre nossas orelhas." - Padre Levedo


Era uma vez um jovem e excruciante pardalzinho que passava o dia a cantarolar War, do Burzum, de trás pra frente, e não queria deixar a Noruega no Inverno só porque todas as bandas iam fazer turnê pelo Mediterrâneo. Ficava a fustigar as pregas fazendo sons de fundo para os álbuns do Bathory até que o Inverno estivesse realmente tr00.

Um dia em que estava a fazer bases guturais para o Vintersorg, notou que o Inverno tinha ficado realmente tr00 e resolveu, finalmente, partir para o sul. A neve caía a cântaros, e um monte de gelo formou-se em suas asinhas. Em seus últimos espasmos para continuar a voar, caiu no chão de uma estrebaria. Um cavalo passou por cima de nosso herói e deu uma bela cagada sobre seu corpo.

Para a felicidade de todos, a merda aqueceu o álgido corpo desfalecido da ave, que pode então se desvencilhar das mãos congelantes da morte. Feliz e a cantar, mexendo seus músculos pouco a pouco, o pardalzinho foi avistado por um gato, que, curioso em saber a origem do som, achou o pássaro e o comeu.

Moral da História 1: Nem todo mundo que caga em você é seu inimigo.
Moral da História 2: Nem todo mundo que tira você da merda é seu amigo.
Moral da História 3: Estando quente e confortável, ainda que em um monte de bosta, permaneça com o bico fechado.
Moral da História 4: Pássaro que tá na merda, não canta.

2 pessoas leram e discordaram:

hnachash disse...

BRAVO!!!
*clap clap









(aehaeheaeh)
;P

N. disse...

uay, eu que digitava CLAPS em todos os posts aqui, carai.
rachei de rir! ahuahuaha \o/

Postar um comentário

sábado, 17 de março de 2007

Uma Fábula de Esopo


ouvindo: System of a Down - B. Y. O. B.
frase do dia: "Deus nos concedeu uma enorme máquina de fliperama que está localizada entre nossas orelhas." - Padre Levedo


Era uma vez um jovem e excruciante pardalzinho que passava o dia a cantarolar War, do Burzum, de trás pra frente, e não queria deixar a Noruega no Inverno só porque todas as bandas iam fazer turnê pelo Mediterrâneo. Ficava a fustigar as pregas fazendo sons de fundo para os álbuns do Bathory até que o Inverno estivesse realmente tr00.

Um dia em que estava a fazer bases guturais para o Vintersorg, notou que o Inverno tinha ficado realmente tr00 e resolveu, finalmente, partir para o sul. A neve caía a cântaros, e um monte de gelo formou-se em suas asinhas. Em seus últimos espasmos para continuar a voar, caiu no chão de uma estrebaria. Um cavalo passou por cima de nosso herói e deu uma bela cagada sobre seu corpo.

Para a felicidade de todos, a merda aqueceu o álgido corpo desfalecido da ave, que pode então se desvencilhar das mãos congelantes da morte. Feliz e a cantar, mexendo seus músculos pouco a pouco, o pardalzinho foi avistado por um gato, que, curioso em saber a origem do som, achou o pássaro e o comeu.

Moral da História 1: Nem todo mundo que caga em você é seu inimigo.
Moral da História 2: Nem todo mundo que tira você da merda é seu amigo.
Moral da História 3: Estando quente e confortável, ainda que em um monte de bosta, permaneça com o bico fechado.
Moral da História 4: Pássaro que tá na merda, não canta.

2 pessoas leram e discordaram:

hnachash on 21 de março de 2007 09:35 disse...

BRAVO!!!
*clap clap









(aehaeheaeh)
;P

N. on 22 de março de 2007 15:45 disse...

uay, eu que digitava CLAPS em todos os posts aqui, carai.
rachei de rir! ahuahuaha \o/

Postar um comentário